sexta-feira, 1 de março de 2013

Sorrindo... e só rindo...

Fico boba com certas infantilidades e mais ainda com tentativas frustradas de provocação, de querer ver competição onde não tem, de fofoquinhas para tentar valorizar um passe que não passa de lixo! Sorrio, porque hoje me considero imune a tudo isso. Sigo sorrindo e só rindo mesmo de tamanha patetice!

Nunca alguém verdadeiramente feliz precisou se esforçar tanto para obter convencimentos... Certas coisas só se conseguem com tijolo, suor e cimento, e jamais com palha, viguinhas de madeira podre, e declarações repetidas de amores falsamente eternos. Ó, que terno! 

Enquanto isso só rio dos comentários, dos medos, da certeza de que mais cedo ou mais tarde o vento tudo leva, como sempre levou. Há um enjoo da rotina e logo logo o outro também desafina por perceber tanta inconstância e exagero, feito tempestade que chega acabando com tudo e prometendo que veio para ficar, mas, no dia seguinte, a brisa, tão suave e calma, sem nada prometer, consegue naturalmente soprar e mandar a tempestade para longe... e, sozinha, verdadeiramente reinar. 

Dou aqui os "15 minutos de fama", só para não bater com a cara na porta e para poder retrucar fingindo que não se importa... só para ele jurar que ainda o ama, ou ainda o espera, ou ainda está de quatro... teorias infundadas que arrancam gargalhadas para lá de sonoras por onde quer que passe, repasse, e que só confirmam o que nem perco mais meu tempo querendo mostrar. Tudo o que se perde tanto tempo querendo sinalizar que é raro e grandioso, explicando o inexplicável, se torna caricatural, soa falso, feito diamante que vem de brinde em qualquer bala mixuruca, totalmente pirata, tal qual a fantasia que se escolheu.

Enquanto se vive retocando sorrisos e narizes, enxugando gorduras, valorizando cabelos e bondade, alimentando-se de ilusão, eu faço a caridade odiosa de apenas investir no que sou. Nunca me importei com a moldura, que, sozinha, não vale nada, e não seria agora. Vou embora experimentando roupas, me divertindo fazendo caras, bocas, cabelo, maquiagem, brincando de ser diva, sem enganar ninguém, muito menos a mim mesma. Sei que cabem em mim várias... e em cada uma delas, acredite, não há nenhum desejo de revisitar historias antigas. Já fechei a porta pro passado e a entreaberta é pro futuro, que só eu decido quando abrir, escancarar.  

O curioso é que a última fala é quase sempre de "amizade", mas, na encenação, para convencer, força-se uma inimizade que não há. Nem amizade também. Há apenas um querer bem, acreditem se quiser. Sou leoa, guerreira, mulher! Sigo em frente sem precisar de ninguém... já conquistei alguns caminhos... não me falta carinho e nem respeito daqueles que realmente me fazem bem. O resto pode passar... passarão... eu passarinho, singelo, como disse Quintana, vou só seguindo... sorrindo... só rindo de tanta imbecilidade e de tão mal traçadas rimas! 

2 comentários:

  1. "Muitas vezes as pessoas são egocêntricas,
    ilógicas e insensatas.
    Perdoe-as assim mesmo.

    Se você é gentil, as pessoas podem acusá-la de
    egoísta, interesseira.
    Seja gentil assim mesmo.

    Se você é vencedora, terá alguns falsos
    amigos e alguns inimigos verdadeiros.
    Vença assim mesmo.

    Se você é honesta e franca,as pessoas
    podem enganá-la.
    Seja honesta e franca assim mesmo.

    O que você levou anos para construir,
    alguém pode destruir de uma hora para outra.
    Construa assim mesmo.

    O bem que você faz hoje pode
    ser esquecido amanhã.
    Faça o bem assim mesmo.
    Dê ao mundo o melhor
    de você, mas isso pode nunca ser o bastante.
    Dê o melhor de você assim mesmo."

    - Madre Tereza de Calcutá
    [Queria te dizer umas palavras, mas percebi que elas já existiam]

    "Há braços"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que coisa linda... Obrigada, meu amigo querido.

      Excluir

Obrigada por me ajudar nas renovAÇÔES!